Editora da Sociedade Winnicott

Página inicial > Revistas > Winnicott e-Prints > Números Publicados > Série 1 > Vol. 4 - nº 1 (2005)

Vol. 4 - nº 1 (2005)

sexta-feira 21 de novembro de 2014, por webmaster

Ariadne Alvarenga Rezende Engelberg de Moraes (PUCSP)
Professora Assistente da Faculdade de Psicologia da Universidade Presbiteriana Mackenzie
E-mail: ariadne.moraes@uol.com.br

Depressão e a mudança de paradigma em Winnicott
Depression and Paradigm Change in Winnicott

Resumo: Neste artigo, argumento ser a depressão o fato clínico que mobilizou Winnicott a considerar a necessidade de uma mudança na etiologia dos distúrbios psíquicos, gerando, em conseqüência, o deslocamento do paradigma psicanalítico das neuroses como proposto por Freud para a psicose. Argumento também que o aporte teórico e clínico introduzido por Winnicott na teoria psicanalítica pode ser entendido como um progresso para a área idéia proposta e defendida por Loparic , mas que esses novos desenvolvimentos teóricos só poderão ser apreciados em sua totalidade mediante a aproximação das teses winnicottianas com a ontologia fundamental de Martin Heidegger.

Palavras-chave: psicanálise, Freud, Winnicott, paradigma, depressão.

Abstract: In this article I argue that depression is the clinical fact that led Winnicott to ponder the need of change in the etiology of psychic disturbances, thus bringing about a displacement of the psychoanalytical paradigm of neuroses - as proposed by Freud - to psychosis. I also argue that the technical and clinical contribution brought by this author in psychoanalytic theory can be understood as progress for the area an idea proposed and defended by Loparic but that such new developments can only be
appreciated in their entirety by approximating winnicottian theses with Martin Heidegger’s fundamental ontology.

Key-words: psychoanalyze, Freud, Winnicott, paradigm, depression.

César R. F. de Souza (PUCRS)
E-mail: csouza@pucrs.campus2.br

Observações sobre a origem da moralidade: uma aproximação entre Heidegger e Winnicott
Remarks on the origin of morality: an approach between Heidegger and Winnicott

Resumo: A partir da aproximação entre as concepções de Heidegger e Winnicott sobre a condição existencial do ser humano, este texto propõe que a fase do desenvolvimento emocional primitivo, que Winnicott chama estágio de concernimento, pode nos auxiliar a compreender a origem do fenômeno essencial da Fürsorge a capacidade de importar-se-com, de cuidar de, um outro , que Heidegger descreve, em Ser e tempo, como característica estrutural essencial do modo de ser-com-outros do Dasein. Essa aproximação abre caminho para a elaboração de uma interpretação ontológico existencial dos resultados do processo de amadurecimento pessoal relativos à origem da moralidade.

Palavras-chave: ser humano, existência, origem, moralidade.

Abstract: From the approach between Heideggers and Winnicotts conceptions about the existential condition of the human being, this paper proposes that the phase of primitive emotional development, which Winnicott calls stage of concern, can help us to comprehend the origin of the essential phenomenon of Fürsorge the capacity of a human being to have concern for, to care about, another, which Heidegger describes, in Being and time, as the essential structural characteristic of Daseins way of beingwith - others. This approach opens a path to prepare an ontological-existential
interpretation of the results of the maturational process related to the origin of morality.

Key-words: human being, existence, origin, morality.

Conceição A. Serralha de Araújo:
Psicóloga clínica, especialista em Psicossomática pelo Instituto Sedes Sapientiae, formação em Observação da Relação Mãe-Bebê pelo Centro de Estudos Psicanalíticos Mãe-Bebê-Família de São Paulo, mestra em Psicologia Clínica pela PUCSP, doutoranda em Psicologia Clínica na PUCSP, professora do Centro Winnicott de São Paulo, membro do Grupo de Filosofia e Práticas Psicoterápicas da PUCSP.
E-mail: serralhac@hotmail.com

O ambiente em Winnicott
The Enviroment in Winnicott

Resumo: O presente texto aborda o termo ambiente na obra de D. W. Winnicott. Para tanto, esse termo foi investigado nos trabalhos desse autor e também na teoria de outros autores, no sentido de compará-lo e apreender a sua especificidade. Uma síntese dessa investigação foi apresentada, tomando como amostra comparativa o que tange ao pensamento de Freud. Concluiu-se que Winnicott, com ambiente, referiu-se às condições psicológicas e/ou físicas necessárias ao amadurecimento emocional do ser humano, sendo a importância destas destacada e ampliada: a capacidade do ambiente de se adaptar adequadamente às necessidades do ser implicará a possibilidade deste perceber e se relacionar com o outro (realidade externa), bem como constituir e se relacionar com seu si-mesmo (realidade pessoal).
Palavras-chave: ambiente, Winnicott, condições psicológicas e físicas, necessidades, realidade.

Abstract: The present text searched to cover the term environment in D. W. Winnicotts work. For that, the term was examined in the works of this author and also in the theory of some other authors, in the sense of comparing and aprehending it in its specificity. A synthesis of this investigation was presented, taking as a comparative sample what concerns to Freuds thoughts. It was concluded that Winnicott, with the term, refers to the psychological and/or physical conditions necessary to the emocional maturity of the human being, with their importance emphasized and enlarged: the enviroments capacity of adapting itself appropriately to the need of the being is going to imply in its possibility of realizing and adapting with the other (external reality), likewise to form and to relate with itself (personal reality).

Key-words: Enviroment, Winnicott, psychological and physical conditions, needs, reality.